22 junho 2007

Dica de gastronomia

Nem tudo foi perda de tempo na minha ida ao Olímpico, quarta-feira. Descobri a existência de um verdadeiro manjar dos deuses. Talvez já seja um prato manjado e apenas eu, um sujeito desinformado, não a conhecesse. Mas o fato é que na esquina da Azenha com aquela rua que leva ao Largo dos Campeões (acho que é a Afonso Pena), havia uma barraquinha semelhante a essas em que se vende cachorro-quente. Em uma chapa, a feliz proprietária do estabelecimento comercial mexia uma mistura heterogênea de lingüiças, cebolas, carnes variadas, pimentões e outros supostos alimentos, não identificáveis à primeira vista. O nome da fina iguaria estava, escrito a mão, em duas folhas de papel A4, penduradas em pontos estratégicos na barraquinha: ENTREVERO!

4 comentários:

Moa disse...

Vai ver os "outros supostos alimentos" é o que sobrou do entrevero entre Bosteiros e Geral do Grêmio... ou sinalizadores usados e pedaços de caixões do Boca feitos de isopor... O que advertiria o Ministério da Saúde sobre o consumo de tal prato?

El Viejo disse...

Compañero
?Usted está girando?
Como puede ingerir esta cosas?
Madre de Dios!!
Viva El Boca!!!
Viva Riquelme!!!!
Viva La Copa America!

Anônimo disse...

Caro Kayser paso a informarlo de que a rua que leva ao largo dos Campeões NÃO é Afonso Pena!!!!!
y sim BOCA JUÑORS!!

que entrevero no!!?

eugênio neves disse...

Os apelos da culinária popular não deixam dúvida sobre o que é oferecido. Todo mundo tá bem avisado e vai quem tem estômago de ostra.
Ainda sobre o popular, uma vez eu ouvi um cara vendendo amendoim e o reclame era assim: "olha aí, vamu lá, olha a força estranha"...