10 março 2009

Lucro líquido

Há alguns meses, fiz o desenho abaixo para o Sindiágua-RS. Ilustrava o texto “Lucro de 170 milhões, calote de poucos reais”, do jornal Berro D’Água de outubro/novembro de 2008. A primeira proposta era mais engraçadinha, mas não foi inteiramente aprovada. De qualquer modo, a ideia da ilustração era retratar a situação de constrangimento a que os funcionários mais humildes da Corsan são submetidos ao tentarem comprar coisas simples no comércio de suas cidades - como conexões, fitas veda-rosca, cola... Os comerciantes se recusam a vender fiado para quem faz a compra em nome da Corsan, porque sabem que não vão receber.

No texto, reproduzido abaixo, há também denúncias de empresas fornecedoras e prestadoras de serviço que sofreram calote da Corsan, em diversas cidades. Portanto, o fato relevante acontecido ontem não é um caso isolado, decorrente de possíveis irregularidades, investigadas por uma sindicância – que, aliás, se arrasta a mais de um ano – como quis fazer crer o diretor-presidente da estatal. Assim, cabe a pergunta óbvia: qual é o verdadeiro lucro da Corsan, descontando-se o calote institucionalizado? Aliás, qual é a vantagem da Corsan dar lucro, ao invés investir na prestação dos serviços que dela se espera?

4 comentários:

Job disse...

Aqui em Santa cruz do Sul a prefeitura cogita de não mais querer o serviço da Corsan e instalar uma companhia municipal, tendo em vista os péssimos serviços oferecidos na cidade e a alta arrecadação que tem no município.

Anônimo disse...

Olá
Sou editor do blog Jornalismo B (www.jornalismob.wordpress.com), e gostaria de fazer um parceria com o seu blog, através da troca de links. Seria possível?
Obrigado
Um abraço
(Peço que entre em contato pelo email bjornalismob@gmail.com)

Alexandre Haubrich

Anônimo disse...

Em Rio Grande também é assim. E pior, bem pior!
Problemas com empreiteiras sem receber? Tem! Mas, além disso, até os vereadores governistas (PMDB) não querem renovar o contrato com a estatal. Detalhe: o PMDB daqui é aliadíssimo ao PSDB, tanto que o vice-prefeito foi indicado por dona Yeda e o ex-prefeito peemedebista ganhou o cargo de superintendente do porto (cargo do Estado).

Dialógico disse...

A coisa que salta aos olhos é esse papo de lucro: desde qdo. estatal tem que dar lucro???? Como bem afirmaste, a folga de caixa é pra reverter em serviços à população!!!!