14 fevereiro 2007

Maioridade penal

Quando começou essa avalanche de insensatez e fascismo em favor da redução da maioridade penal, capitaneada pela Globo e com a adesão não surpreendente de decepções como o senador Paulo Paim, pensei no que quase todos os chargistas pensaram: charges com crianças de colo, recém-nascidos ou fetos sendo presos. Imediatamente me lembrei desse desenhaço do Moa, que ganhou o prêmio de melhor cartum do 2º Salão Internacional de desenho de Imprensa de Porto Alegre, em 1993:



Até pensei em falar para ele redesenhar e mandar para o Jornal do Comércio. Só que hoje a charge do JC era minha e o Nani foi mais rápido (ou 14 anos mais lento) e fez essa daí:




No Charge Online de hoje teve até chargista que parece que acha isso correto, já que os bebês nascem assaltando mesmo:



Ou quem achasse que o bom mesmo é discutir esse assunto de forma emotiva e atabalhoada, criticando o pedido de cautela feito pela Ellen Gracie:



Enquanto a Globo citava o belo exemplo do México, onde, uma criança poderia ser condenada a partir dos seis anos de idade (por roubar um mandolate do irmãozinho?) e mostrava um menor de 16 anos (coincidentemente negro) sendo condenado na Inglaterra, pensei em insistir em algo semelhante à minha primeira idéia. Talvez uma mãe negra e favelada recebendo uma roupinha de bebê com listras de presidiário, ou algo assim... Aí lembrei do Lalau e do Pimenta Neves, que estão soltos não por serem jovens demais. Pelo contrário, são muito velhinhos e doentinhos, os coitados. Será que não seria o caso de também se aumentar a “menoridade penal”, permitindo que pilantras da terceira idade permanecessem presos? Mas é claro que a chave de tudo não é a idade do sujeito, mas a cor da sua pele e a sua condição social. Ou vocês conhecem algum pobre que tenha virado notícia por ser vítima de crime hediondo?

Daí, saiu essa charge aí, espero que bem sucedida:


3 comentários:

Antonio disse...

Fala sério! O Senador Paim é a favor deste descalabro! PQP! O cidadão veio do povão e sabe muito bem como se dá este processo fratricida da violência, a desigualdade social brutal...Enfim....
Um verdadeiro mar de charges sobre o tema, que bom, a maioria dos desenhistas estão lúcidos.
Abraços

fz disse...

muito bom, Kayser! Se todos os cartunistas fizessem o dever de casa como vc não teríamos que aguentar tanta besteira desenhada por aí. e é uma oportunidade única ver o raio x de uma idéia, sem contar que os rascunhos a lápis que aparecem no blog são muito bons tb. valeu!

Jens disse...

Parabéns. Tá matando a pau. Não resisti e reproduzi parte lá na Trincheira. Muito bom, mesmo!