06 novembro 2009

Jogo dos 7 Erros


Na verdade, não são sete erros. Mas só porque a manchete é curta. Em um reduzido número de palavras, o Correio do Povo consegue chamar de "Plano do Estado" um projeto do governo. Depois, afirma categoricamente que o tal plano (projeto, na verdade) "reajusta salário e valoriza (o) servidor", quando o projeto propõe (já que é um projeto ainda) o aumento de salário de apenas duas categorias, e não de todo o funcionalismo, como a manchete dá a entender. Duas categorias que não se sentiram tão valorizadas assim, principalmente pelo fato de o tal projeto conter um nebuloso décimo-quarto salário para quem cumprir metas (que não se sabe quais são) ou for produtivo (na opinião de não se sabe quem).
Nem estou dizendo que o projeto é ruim. O que estou dizendo é que a manchete é pavorosa como jornalismo e primorosa como assessoria de imprensa do governo.

3 comentários:

koostella disse...

Mas como tem jornalista bizonho nesse mundo... Ler a Veja ou IstoÉ mesmo, me dá vontade gritar ódio. E se alguém levantar a voz contra essas barbaridades jornalísticas, ainda corre o risco de ser apedrejado por retardados que confundem liberdade de expressão com manipulação de massas.

Erick da Silva disse...

O Correio conseguiu a façanha de ser pior que a Zero Hora em sua defesa, mal disfarçada de "jornalismo", do governo. Se bobear nem o release do Piratini foi tão entusiasta com relação ao projeto da Tia Yeda.
Um abraço
Erick

Claudimar disse...

É, como se não bastasse a ZH... Aliás, depois da divulgação deste fabuloso plano, escutei aquele senhor idoso que dizem ser o colunista mais lido do RS afirmar que a atual governadora será "páreo" duro na próxima eleição. Qual será o Estado em que ele vive?