18 junho 2009

PAC gaudério


Para quem acha que o governo está paralisado, aí vai uma prova da pujança e do empreendedorismo de nossa governança. Nas fotos, detalhes de uma importantíssima obra, fruto dos Programas Estruturantes: a reforma do muro da Secretaria da Agricultura. Em meio à imundície e à buraqueira das ruas do bairro Menino Deus, jogado às traças pela administração municipal, emerge esta obra imponente, orçada em vultosos 43 mil reais. Sem ironia, 43 mil para dar uma tapeada no reboco, lixar uma grade e passar uma tinta, é, definitivamente, um grande investimento. Por certo, uma das obras capazes de mudar o perfil do Estado...

14 comentários:

Anônimo disse...

Reforma de muro é estruturante ?????

Job disse...

Kaiser,
Trabalhei 2 anos e meio como concursado da Sec. da Agr. do Estado mas tive que pedir exoneração pelo saĺario vergonhoso pago a um Téc. Agrícola (já estava passando fome). Felizmemente passei no concurso da prefeitura de minha cidade que paga muito mais.Este é o estado mais politizado do Brasil(AHAHAHA) que não dá condições dignas de trabalho aos funcionários Secretaria que fiscaliza a produção de alimentos para seu povo. E dá-lhe pintura de muro.Muito estruturante!

Guga Türck disse...

É, Kayser, minha solidariedade a vocês, chargistas neste momento que vive nosso estado.
Deve estar sendo difícil se puxar na sátira, crônica e tudo mais que o valha, porque a realidade é muuuuuuito mais engraçada do que qualquer paródia...

Abração!

ps: aliás, vou virar teu colega, agora. Tenho uma hortinha aqui na janelha do meu apê e outra lá na Catarse que dá uma salsinha que é uma beleza. Vou encaminhar ao STF pedido de diploma pra engenheiro agrônomo...

Kayser disse...

Job, sei bem da situção dos funcionários da Secretaria. Tenho muitos amigos trabalhando lá. Se compararmso com o Ministério da Agricultura, que exerce funções similares, a situação fica ainda mais constrangedora. O pessoal usa diárias do Ministério para viajar... Fiasco total!

Kayser disse...

É isso aí, Guga! E depois vai trabalhar na Secretaria. O salário não é bom (ver comentário do Job), mas o muro é zero-bala!

gremiodecoracao disse...

Ah sim, passei esses dias por alí e realmente estavam arrumando. Isso é um bom sinal ;)




abraço.

Erick da Silva disse...

Se tu não tivesse fotografado eu ia achar que era piada...
Impressionante!!!

Remindo disse...

Vai ver que no projeto estão encluídos os muros da mansão da governadora, da mansão do Chico Fraga em São Francisco de Paula e aa casa de praia do presidente do Tribunal de Contas do Estado.

Anônimo disse...

Por 3 mil reais e umas cevas, eu pintava todinho.

Jens disse...

Na minha mão é mais barato: 2 paus 950 e eu fecho negócio.

Dialógico disse...

Kayser, que vergonha! QUE VERGONHA!!!
Sabe aquele constrangimento provocado em ti ao assistir calouros em programas de auditório? É isso que sinto, ao ver manutenção de muro ser considerado "Projeto Estruturante", com direito a cartaz e tudo!!!!!!!!!!
VEXAME!!!!!!!!!!!!
Irei guardar essas imagens como prova da politização gaúcha...

Claudia

Paulo Cunha disse...

Oi Kayser,

O que os canadenses do South Park fazem na campanha da Yeda??? Hum... não, são os bonequinhos da Lego... Claro! dai vem o tema Programas estruturantes! Deve ser por isso que ela fez a reforma em casa...

(sou paulistano, então desculpe se as piadas forem velhas/só agora que você percebeu/é, não precisa rir da nossa cara/qualquer das opções anteriores ou futuras... Eu passei anos morrendo de inveja de vocês quando tínhamos o Maluf de governador-prefeito-eterno, deixa eu dar um pouco do troco agora :)

Abraços!

Kayser disse...

Bah, Paulo! Não tinha me dado conta: os bonequinhos são South Park mesmo! Isso explica muita coisa... Abraço!

Cleber Martins disse...

Kayser,

Outro exemplo da pujança do governo estadual são as escolas de lata. Não precisam ser reformadas e são facilmente instaladas. O pior que pode acontecer é ferrugem; nada que um jimo não resolva.
A secretária de educação deveria receber algum prêmio pela iniciativa. No mínimo alguma placa mencionando a medida. Uma placa de lata, é claro.

Cleber Martins