26 maio 2009

Postagem requentada para assunto requentado

Ontem a mídia nos brindou com mais uma patética cobertura do "Dia Livre de Impostos", que tem o seu ponto alto na venda de gasolina barata. O sonho da Classe Média, representada pela apolítica Aclame: gasolina barata! Nada de transporte coletivo ou qualquer outra coisa coletiva. Apenas a exacerbação do individualismo, a preços módicos, acompanhada de reclamações contra a carga tributária e o contra o governo, seja lá qual for, porque a Classe Média sempre vota na direita, mas reclama de todos os governos.

Como o evento acontece todos os anos e todos os anos a televisão faz a mesma cobertura ridícula, segue abaixo uma postagem de 2006, com uma charge de 2004. Na época, Daniel Andrade era o presidente da Aclame. Depois, virou secretário da Yeda e apoiou o tarifaço e a prorrogação dos pedágios.

Coisas da vida, como diria o blogueiro...

14 Outubro 2006

Chega de Tanto Imposto!

Essa é uma das minhas favoritas. Tanto pelo desenho, que tá bacana, quanto pelo "contiúdo". Ela foi publicada em maio de 2004, depois de um dos tais “dia sem imposto”, com aquela função de filas nos postos de gasolina, matérias nos telejornais e tal e coisa... Eu fico me perguntando o que leva um sujeito a supor que a gasolina devesse ser isenta de impostos. Imagino que alguém que pense assim, também acredite que o seu automóvel devesse ser isento de impostos. E, talvez, que jamais pudesse ser multado, principalmente por um pardal faturador. E, evidentemente, esse alguém deve odiar os famigerados pedágios. O que me leva a outra pergunta: nesse mundo sem impostos, multas e pedágios, de onde alguém iria tirar dinheiro para fazer as estradas e ruas onde esses carros andariam com sua gasolina barata? Vai ver, nesse mundo ideal, talvez Deus, na sua infinita bondade, e aproveitando alguma verba excedente após o fechamento do Limbo e o conseqüente enxugamento da máquina celestial, dissesse: “Faça-se a auto-estrada! Com pelo menos três pistas, sem curvas nem limite de velocidade, que é pra galera barbarizar no volante”!

3 comentários:

Pierre disse...

Boa!
Queria ver como seria esse "mundo mágico sem impostos" da Classe Média. Eita!

Anônimo disse...

O custo dos tributos é repassado ao consumidor, mantendo determinada margem de lucro aos empresários. A desoneração (segundo juram os empresários) também seria repassada, reduzindo os preços. Mas, se a desoneração fosse integralmente repassada, a margem de lucro seria exatamente a mesma de antes.
O que os empresários ganhariam com isso? O que os motiva? Será mesmo puro altruísmo?

Germano

Anônimo disse...

Parabéns pelo teu blog - Uma visão crítica e ordenada dos fatos.