21 dezembro 2006

Hamburgo, esse desconhecido


É evidente que uma vitória colorada, embora rara, sempre irrita a nós gremistas. Mais ainda quando representa a conquista de um título que apenas nós possuíamos. É como se encontrássemos aquela ex-namorada maravilhosa, da qual tanto nos vangloriávamos, aos beijos com um bagaceiro qualquer vestido de vermelho. Aquela vagabunda! Chinelona! Inveja! Rancor! Despeito! Enfim, sentimentos ruins e infantis, mas compreensíveis.

O que é difícil de se compreender é esse ressentimento, misturado com desprezo pela história do futebol, que tem demonstrado alguns colorados. E justamente nessa hora em que eles atingem a glória máxima de um clube de futebol. É irritante, mas ao mesmo tempo revelador do quanto o nosso título os incomodou ao longo de intermináveis 23 anos.

Essa semana, ouvi muitos colorados dizendo que o Grêmio ganhou o seu título mundial sobre um timeco desconhecido, o Hamburgo. Desconhecido, talvez, nos dias de hoje. Mas não em 1983. Para quem não sabe, o Hamburgo era apenas o bicampeão alemão e o campeão europeu. Sim, o Hamburgo teve que ser campeão europeu, tanto quanto o Barcelona, para ter o direito de disputar o título mundial. Tinha no seu meio-campo Felix Magath, titular da seleção alemã vice-campeã mundial em 1982. E o seu adversário na final da Liga dos Campeões da Europa era a Juventus de Turin. Não uma Juventus qualquer, mas a poderosa Juventus de Michel Platini, Boniek, e de seis campeões mundiais de 1982, Zoff; Gentile, Scirea, Cabrini, Tardelli; Bettega e Paolo Rossi. Ou seja, a base do time que derrotou a querida seleção de Telê Santana.

Ainda acham pouco? Não estão convencidos? Então imaginem que o Inter tivesse perdido para o Barcelona e o clube catalão tivesse conquistado seu único título mundial. E que daqui a 23 anos, o desconhecido e improvável Espanyol de Barcelona fosse ao Japão decidir o título mundial contra o poderoso e multi-campeão Boca Juniors (ou o multi-campeão sul-americano de sua preferência). E a zebra Espanyol fizesse uma marcação implacável e vencesse os favoritos por 1x0 em um contra-ataque inesperado. Os torcedores do Espanyol iriam gozar da cara dos rivais e dizer que o Barcelona ganhou de um caco de time, uns ridículos desconhecidos que ninguém sabe quem é. Mas o Espanyol não! O Espanyol teria ganhado de um timaço reconhecido por todos. Talvez, então, algum paciente torcedor do Barcelona explicasse quem era o Inter. Ele diria que o Inter até é um time desconhecido, mas que não chegou a Tóquio por acaso. Derrotou na final da Libertadores ao Campeão Mundial São Paulo, de Rogério Ceni, Júnior, Mineiro e ... sei lá. Danilo? Souza? Fabão? Bem, os são-paulinos não eram exatamente craques, mas eram campeões, sabe como é...

Ou seja, a Juventus campeã italiana de 1981, 1982, 1984 e 1986 e campeã européia e mundial de 1985, era um time muito superior ao São Paulo de 2006, certo? Logo, aquele Hamburgo não era tão pereba assim. Portanto, dizer que o título conquistado pelo Grêmio, que dominou e atacou o Hamburgo o tempo inteiro, é menos importante que o conquistado pelo esforçado Inter, que surpreendeu o Barcelona, é muita pequenez e recalque acumulado! Comemorem o seu título e deixem o nosso em paz!

28 comentários:

Jens disse...

Grande Kayser: comemorar o nosso título e deixar o de vocês em paz? Maa assim não tem graça! Um abraço.

Biruta do Sul disse...

Quanto tro-lo-ló, meu deus. Quanto desatino dessa pobre gente gremista. Compreensível, afinal delirar é humano ... principalmente quando os que deliram são gremistas.
Só não use pantalhas, por favor!!

Andressa disse...

Bah Kayser! Muito interessante esse teu blog! Vou virar fregueza! Adorei as charges! hehehe! Só uma coisa: como colorada não gostei muito dessa última, mas vou deixar passar!

Anônimo disse...

É risível o esforço gremista em tentar igualar dois títulos completamente diferentes... de qualquer modo, vou tentar usar dos mesmos argumentos para provar a minha tese. Em primeiro lugar, se o Hamburgo era bi-campeão alemão, o que isso significa? Absolutamente nada. Além disso, o que o "grande" Hamburgo ganhou depois disso? De novo, absolutamente nada. Se o grêmio realmente dominou o adversário, confesso que não lembro, mas isso também não significa muito, pois é fato (destacado pela imprensa da época) que os alemães foram com seu time reserva mesclado com 3 titulares (alguns eram segundos e até terceiros reservas) para o Japão, pois não estavam nem aí para a disputa do torneio Intercontinental da Toyota. Além disso, chegaram à Tóquio na véspera da partida e, segundo informou o repórter João Carlos Belmonte, da rádio Gaúcha, passaram a noite bebendo no bar do hotel, um dia antes do jogo. Então, "dominar" um time misto e cheio de trago não deveria ser tarefa das mais difíceis. Não vou nem argumentar em cima da diferença das equipes e dos clubes (o Barcelona é quase eterno, enquanto o Hamburgo teve um único momento de glória, ao vencer a Juventus em jogo único e cheio de problemas - só quem viu, sabe do que estou falando). O Inter foi dominado pelo time Catalão? Foi, mas esse domínio era falso, pois raras foram as chances claras de gol dos espanhóis. Claro que o Inter da Libertadores (com Tinga e Sóbis, principalmente) teria sido mais efetivo no ataque e talvez tivesse feito mais de um gol, até porque a zaga do Barça é muito fraca. Sabedor disso, Abel Braga armou a equipe defensivamente, mas sempre buscando a saída rápida nos contra-ataques e nunca apelando para a violência, como chegou a se falar. Para que não digam que sou radical, o próprio gremio fez isso contra o Ajax, em 95, mas não teve a qualidade necessária para marcar o seu gol. Este sim, teria sido um título para se vangloriar, contra um adversário respeitável, mesmo não sendo um título mundial da FIFA. Hamburgo?? Faz-me rir...

Kayser disse...

Prezado Anonymous (belo nome), nao estou fazendo esforço algum para igular nada. O Grêmio é o legítimo e inquestionável Campeão do Mundo de 1983 e o Inter o de 2006. Ambos estão lá no site da Fifa para quem quiser ver: http://www.fifa.com/en/comp/Clubworld/tournament/0,6537,CWC-2006-61,00.html. O resto é falta de grandeza. É tentar desmerecer o legítimo título do rival.
No resto, sua mensagem é muito curiosa. Você considera que o fato de o Hamburgo ter sido bicampeão alemão nada significa. Por coerência, o tricampeonato brasileiro conquistado pelo Inter nada deve significar também. Depois você fala que não lembra do jogo do Grêmio em Tóquio, mas sabe o quão tumultuado e atípico foi Hamburgo x Juventus. E até dá a entender que assistiu a esse jogo. O sujeito sabe tudo de Hamburgo x Juventus mas não lembra de Grêmio x Hamburgo. Depois vem com essa conversa de bebedeira e time misto dos alemães, coisa que nunca se falou na época, e do “testemunho do João Carlos Belmonte da Gaúcha”... Mas vai te deitar Anonymous! O Belmonte era da Guaíba na época e hoje está na Bandeirantes! Pelo menos te informa um pouquinho sobre a historia do futebol antes de encher meu saco!
Quanto a Grêmio x Ajax, o Grêmio tomou um corrupio e tinha que perder mesmo...

zealfredo disse...

Kayser,
Interessante este teu "post". Citei no meu blog, e copiei a charge.
Em tempo: sou colorado.
Mais: se quiseres que a charge seja retirada, eu retiro.

Eduardo Martinez disse...

Sou colorado e assino embaixo. Essa história de não saber direito se torçe a favor do seu time ou contra o rival cheira (sem duplo sentido) dependência química. É como "adoçar" o café com uma colher de açucar e, se um gremista passar por perto, outra de sal e ainda fazer cara de hummmm! Pior, é como investir muita grana no litoral para deixar deserto praticamente nove meses por ano. Para ser sincero, não estou nem aí se a Fifa reconhece ou não esse ou aquele título, eu reconheço é que a Fifa tem que respeitar a verdade histórica. E nós, colorados, temos que admitir que finalmente entramos no clube dos grandes do futebol mundial, que inclui o Grêmio. E meu sonho é ver Inter e Grêmio em Tóquio. A única diferença em relação aos gremistas é que eu prefiro ser bi da Libertadores no Grenal da final e o Grêmio ir ao mundial como vice, na vaga do Inter que já estaria garantido por ter sido o último campeão. E os gremistas obviamente preferem o contrário. Tudo isso com muito respeito, afinal, estamos falando de Porto Alegre: terra do FSM e de dois campeões mundiais.

Kayser disse...

Grande comentário, Eduardo! Matou a questão.

joao nonohay disse...

Kaiser,
Tava atrás de uma pesquisa sobre o Grêmio x Hamburgo e encontrei o teu texto. Muito legal o texto e o blog.
Citei ele num texto que fiz sobre o assunto no meu blog (http://jbsn.blog.uol.com.br/)
abraço

Anônimo disse...

Sou Alexsandro de Porto Alegre.
Acho que os colorados estão indo na direção errada no que se refere ao gremio de 1983. Se o Hamburgo estava com time misto não interessa, o problema é deles e o gremio ganhou dentro de campo.
Eu acho muito mais relevante dizer que o gremio é Campeão Intercontinental e que só Corinthians, São Paulo e Internacional são campeões mundiais. Sabem por que? Porque a FIFA me dá esse respaldo. O próprio link do Kayser mostra que a FIFA considera o gremio como Campeão da Copa Toyota. Isso foi afirmado novamente por Blatter antes da decisão entre Inter e Barcelona, dêem uma olhada aqui: http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/0,,AA1390484-7170,00.html

E sobre a FIFA respeitar a verdade histórica, ela respeita, mas como vai reconhecer um campeonato que ela não organizou? Lembram que naquela época os times podiam inscrever jogadores até 1 dia antes do jogo e tava tudo bem. Sem falar no anti-doping.

Sabiam que o Santos do Pelé NUNCA foi Campeão Brasileiro? Sabem por que? Porque o Campeonato Brasileiro passou a existir em 1971 e todos os 6 títulos nacionais anteriores a 1971 que o Santos de Pelé ganhou a CBF não reconhece e classifica como Origens. Vejam no site da FIFA: http://www.fifa.com/en/comp/index/0,2442,CWC2006,00.html?comp=CWC&year=2006 lá embaixo à esquerda tem um link "Origins" que fala de todos os campeonatos intercontinentais que ela não organizou. A vida não é justa mesmo!

Kayser disse...

Tá bom, então, Alexsandro. O Grêmio e o Santos do Pelé, assim como o Flamengo do Zico e o São Paulo do Raí nunca foram campeões mundiais. O Santos do Pelé não foi sequer campeão brasileiro... E campeão mundial é o Corinthians que nunca foi campeão sul-americano... Conta outra pra ver se eu acredito. Tu e o Blatter podem acreditar nessa bobagem, mas a História não se muda. O Grêmio é Campeão do Mundo (da Libertadores também...), assim como o Flamengo, o bicampeão Santos e o tricampeão São Paulo. Se os colorados fossem um pouquinho mais espertos, iriam preferir ficar ao lado dessa turma, com equipes fantásticas e craques inesquecíveis. e não do Corinthians, com aquele título ridículo.
Mas cada um acredita no que quer. Já houve até quem comemorasse o título de campeão brasileiro de 2005 lá na Goethe, acreditando que tinha terminado o campeonato com mais pontos do que o Corinthians...

Anônimo disse...

Alexsandro
É bem isso aí mesmo! O Santos, Flamengo, gremio e os 2 primeiros do São Paulo são títulos Intercontinentais. Sim o Santos de Pelé nunca foi campeão brasileiro. Tu entendeu certinho!

Não vou ficar aqui defendendo o Corinthians de 2000, mas quem criou o regulamento foi a FIFA, e se vocês reclamam que a FIFA não considera vocês como campeões mundiais quem são vocês para não considerar o título mundial do Corinthians? Só para lembrar o Corinthians foi campeão em um campeonato com 8 clubes sendo que estavam presentes o Real Madrid (atual campeão europeu), o Manchester United (atual campeão da Copa Toyota) e o Vasco (atual campeão da américa). Se os outros foram incompetentes o problema é deles.

A FIFA pretende voltar para esse mesmo modelo já em 2007 e teremos como convidados o atual campeão e um representante do país sede e a qualquer momento um clube poderá ser campeão sem ganhar o seu campeonato continental. E não adianta dizer que serão os japoneses, pois a sede do Mundial também poderá mudar e os mexicanos já se adiantaram para organizar o de 2008. Será que sempre teremos um Campeão Mundial da América do Sul ou da Europa?

E sobre o Campeonato Brasileiro de 2005 mais uma vez tu me dá razão: o que vale é o OFICIAL!!!!

Kayser disse...

Mais um bravo anônimo enchendo meu saco... Assim como ao anônimo anterior, só posso pedir que tu te informes um pouquinho antes de escrever essas bobagens. O Real Madrid era o campeão europeu e MUNDIAL de 1998, quando derrotou o Vasco. O Manchester United sim era o atual campeão europeu e MUNDIAL (ao derrotar o Palmeiras, campeão sul-americano, que derrotou o Corinthians e o Vasco na Libertadores). Sabe tudo de futebol o anônimo coloradinho defensor do Alexsandro...

Kayser disse...

Ah, antes que eu me esqueça: não estou reclamando de nada! Eu sou campeão do mundo a 23 anos. Queiram ou não os colorados, a Fifa ou a mãe do Badanha.

Anônimo disse...

Só para corrigir o post do colorado:

Os representantes do ano 2000 foram

Al Nassr Saudi Arabia 1998 AFC Super Cup

Corinthians Brazil 1999 Brazilian League

Manchester United England 1999 UEFA Champions League

Necaxa Mexico 1999 CONCACAF Champions' Cup

Raja Casablanca Morocco 1999 CAF Champions League

Real Madrid Spain 1998 Intercontinental Cup

Vasco da Gama Brazil 1998 CONMEBOL Copa Libertadores

South Melbourne Australia 1999 OFC Club Championship

http://en.wikipedia.org/wiki/2000_FIFA_Club_World_Championship

Onde diz "Intercontinental Cup" é o mesmo que "Toyota Cup". O mesmo do Grêmio.

Mais informações sobre Mundial de Clubes em http://en.wikipedia.org/wiki/FIFA_Club_World_Championship

Anônimo disse...

MAIS UM DIÁLOGO ENTRE PAI E FILHO:


O menino acorda e vai até a sala, onde o pai está todo sorridente,
vestindo a camiseta vermelha e se aprontando pra sair. A sala cheia de
bandeiras e as janelas todas abertas, para passar o cheiro de naftalina
que ainda impregna o ar.
- Nós vamos pro aeroporto, pai?
- Aeroporto não, filho. Base aérea... Vamos pra base aérea.
- Ah. Vai ser uma festa bonita, né pai? - pergunta o menino, sem entender
por que não no aeroporto.
- Vai, filho. Vai ser um festão.
- Demorou, né, pai?
- É, filho, mas isso não importa... - resmunga o pai.
- Há quantos anos mesmo que tu espera por esse dia, pai? Desde que tinha a
minha idade, né?
- Vinte e três anos, filho... vinte e três...
- É muito, né, pai? Ainda bem que acabou... Mas, também, a gente treinou
97 anos... Um dia tinha que acabar, né, pai?
- É, filho... mas agora vamos. Vamos, que não quero perder a chegada do
Pato e do Gabiru.
- Vamos, pai - diz o garoto, pegando uma bandeira e ainda catando uma
traça que corria pelo pano vermelho.
Um minuto depois, no elevador...
- Hein, pai... Que título mesmo a gente ganhou?
- Campeão mundial, filho! - exclama o pai, animado. - Campeão mundial
reconhecido pela FIFA!
- Ah, que nem o Corinthians, né, pai?
- Corinthians? - surpreende-se o pai. E pensa um pouco... Depois,
conforma-se: - É, que nem o Corinthians...
- Pai, mas o Corinthians já ganhou a Libertadores? Já jogou no Japão?
- Tá louco, filho?! Nunca! É que o Corinthians foi convidado. Quando esse
torneio que a gente ganhou começou, ninguém precisava ganhar nada pra
participar. Era só ser convidado...
- Nossa, pai! Que coisa! Essa FIFA é bem bagunçada, né? Não tem critério
nenhum...
- É, filho... Mas isso não importa.
O filho segue pensativo até o carro. Enquanto põe o cinto de segurança,
sentado no banco traseiro, volta às perguntas:
- Mas pra nós foi difícil, né, pai? Tivemos que ganhar a Libertadores...
Só tem uma coisa que não entendo: nosso time hoje é melhor que aquele
beeeem antigo, que tinha uns jogadores que o vô dizia que eram muito
bons... o Falcão, o Batista, o Escurinho, o Manga?
- Não filho, aquele time foi o melhor de todos que já tivemos... Isso não
se discute!
- Mas pai, então me explica: se aquele time era tão bom, por que demorou
tanto pra gente ganhar a Libertadores?
- Ah, filho... porque naquele tempo era muuuuito mais difícil ganhar a
Libertadores. Primeiro, porque só dois times brasileiros jogavam... se
ainda fosse assim, a gente nem tinha jogado este ano. E os
adversários eram muuuuito mais difíceis! Tinha times como o Boca, o River,
o Estudiantes, o Peñarol, o Olímpia. Eles batiam muito também! Dava até
medo jogar naqueles estádios da Argentina, do Uruguai, do Paraguai, da
Colômbia...
- Então, aquele time que o vô viu jogar era muito bom. Mas,
naquele tempo, Libertadores era pra macho!
O filho pensou um pouco...
- Pai, quando o Grêmio ganhou a Libertadores duas vezes era mais difícil,
também? Ou eles só jogaram com o Pumas, o Libertad, o
Nacional e a LDU, que nem nós?
Silêncio...
- Ah, mas nós ganhamos a final do São Paulo - emendou o pai, sem
responder...
- É mesmo! Naquele jogo que o Rogério Ceni entregou... - lembrou o filho -
Que sorte, né, pai?

Alguns minutos de silêncio depois, o filho volta às dúvidas:

- Pai, mas então quando o Grêmio foi campeão mundial também era mais
difícil, né? Porque não era qualquer um que ia pro Japão. Porque até o
Falcão, que o vô diz que foi nosso maior craque, só foi pro Japão com a
Globo...
- É, filho... mas o Grêmio jogou contra um time alemão, que estava até
desfalcado no dia... Não foi que nem nós, que jogamos contra o Barcelona
do Ronaldinho, do Deco, do Eto'o, do Messi, do Saviola...
- Quem é Eto´o, pai? Eu não vi nenhum Eto´o domingo... nem Messi, nem Saviola...
- Ah, é porque eles estavam lesionados... eles não jogaram.
- Puxa, quantos lesionados... Mas, então, o Barcelona estava desfalcado?
Que sorte, né, pai?
- Ah, mas nós não jogamos só uma partida como o Grêmio, meu filho -
insiste o pai, já irritado. - Nós primeiro tivemos que passar por um jogo
muito difícil, contra aquele timão lá do Egito! O Ai-Ai...
- Puxa pai, é mesmo! Eu nem sabia que no Egito tem futebol... Mas foi um jogão. Bem
difícil... Ainda bem que a gente teve muita raça e ganhou do Ai-Ai do
Egito, né, pai?
- Isso, filho. Muita raça... Olha, que bandeira linda ali no Laçador!
Percebendo que o pai quer mudar de assunto, o filho fica quieto por mais
uns minutos, até chegar à Base Aérea, onde muitos outros
torcedores se reúnem para esperar o time que está chegando. Em meio a
homens, mulheres e crianças, o garoto logo reconhece um amigo:
- Olha, pai! É o Bilu! Eu conheço ele lá da Escolinha do Beira-Rio! Ele é meu
colega do balé...
- Bilu? E isso é nome de homem...? - pergunta o pai.
- Ué, pai... que nem Gabiru...
- Ah, é mesmo... - concorda o pai, meio a contragosto.
Passa-se um minuto, e o garoto segue pensativo:
- Pai, por falar nisso... É verdade que nós só ganhamos quando entrou o
Gabiru?
O pai olha de soslaio para o menino, suspira e diz:
- Deixa pra lá, filho, deixa pra lá... O que importa é comemorar. Campeão
da FIFA! Campeão da FIFA!

B.E.T.T.O disse...

COLORADOS BURROS ...

Já pensaram em montar uma empresa, e somente depois de 23 anos, conseguir algum exito empresarial expressivo ???

Eu me sentiria um LIXO !!!

E acalmen-se macaquinhos ...
Ainda FALTA 2 títulos nacionais, 1 libertadores e 1 recopa (fora outros que nem citarei) pra vcs encostarem perto de toda a glória do IMORTAL TRICOLOR ...

Agora te recolhe e volta a chorar ... e LUTAR pra te igualar ...

Eduardo disse...

Tchê, se tem uma coisa que eu fico de cara é essa história de que o Grêmio jogou um torneio intercontinental e blablabla...Por que vcs colorados não admitem o título do Grêmio e pronto? O pior é que não adianta explicar que na maior parte do planeta, em 83, nem havia futebol profissional. E mais, ainda hoje acontece isso, tanto que o colorado ganhou esse título num campeonato que tinha um time amador jogando. Pelo amor de Deus. Ainda hoje é intercontinental. Todo mundo sabe disso, ou alguém desconfiava que não seria Barça e Inter a final do campeonato? Tem que ser muito hipócrita. Mas nem por isso nós gremistas desmerecemos o título de vcs. Aliás, parabéns a todos os colorados, mas vcs poderiam agora, que são também campeões mundiais, mudar um pouco o discursinho batido e cansado tal como "Me fala um titular do Hamburgo?" ou "Vcs não são campeões do mundo, são Campeões da Copa Toyota"! Puts, essas são "foda" de aguentar. Até pq, daqui há 23 anos, quero ver algum colorado lembrar de algum jogador do Barça que não seja o Ronaldinho, ou pior, quero ver me dar a escalação do próprio Inter. Não se argumenta esse tipo de coisa, é ridículo. Abraço e saudações tricolores.

João Alves disse...

Ô B.E.T.T.O imagina então aquela empresa que deixa todos os seus sócios na mão e vai pra segundona? Se demorar pra ser bem sucedido é um lixo, quem entra em falência então deve ser um lixo orgânico + esgoto a céu aberto

João Alves disse...

ô Eduardo, não fica triste, o Inter nunca poderá ser campeão como o gremio, o torneio Intercontinental foi extinto, só vocês têm, não é o máximo?

E ó, nós não precisamos lembrar de nada de 23 anos atrás, temos tudo gravado em DVD, CD, jornais internacionais, tudo muito moderno, só precisamos ver novamente. No teu caso tu também poderia ter feito isso, era só tu ter sido um felizardo proprietário de um videocassete em 1983 e gravado o jogo, ou então ter guardado a zerohora do dia seguinte.

Anônimo disse...

Aos colorados espero que realemte guardem bém os dvd's, a histórioa afirma que outro título parecido só daqui 97 anos......, e até lá a regra já mudou, aí ningém mais vai ser Campeão do Mundo, nem Grêmio nem inter, tudo igual. Há o Brasil não é mais penta desde o 1º título muita coisa mudo... O melhor é que o inter foi campeão em 2006, algo que está ficnado para trás.
Será que jogariam na regra antiga? Porque então só ganharam agora? estyão MUITO distante da grandiozidade do GRÊMIO, alem de que precisaram de 11 colorados para bater 1 Gremista.....
Sem rancor mas o título colorado é na verdade um título para os gremistas, uma reverência a nossa grandiosidade, quem já viu um adversário tão insistente em igualar-se, lutou por 23 anos, masainda falta muito. E quanto à FIFA, bem coloquem a FIFA ...., Ela só assumiu a organização depois que viu o lucro que poderia ter...., como era de se esperar.

Diogo Pedrotti disse...

Como as coisas mudam... agora é bom ser campeão do mundo... antes era bom ser campeão invicto em 79.
Óbvio que era bem mais dificil ganhar a Libertadores antigamente (tanto que Falcão e os campeões invictos de 79 não ganharam). Óbvio que o Hamburgo de 83 era um grande time (já tinha sido vice da EUFA em 80, como o Inter vice da Libertadores no mesmo ano), caso contrário não teria vencido metade da seleção da Itália que foi campeã do mundo de 82.
E mesmo que o Hamburgo jogasse com reservas em 83 (o que é mentira), o Barcelona só tinha Ronaldinho (que se escondeu do jogo contra Austrália, Croácia e Gana na copa) e Deco (pífeo). Se querem falar de reservas, falaremos de Eto'o, Messi e Saviola... que sem condições físicas não jogaram e deixaram o ataque pro cara da islândia (ou sei lá de onde), que não sabe nem se a bola é redonda. E sem falar do Larson, que se aposentou, mas na final da UEFA, entrou e praticamente virou sozinho o jogo.
Ah... e me perdoa ae, mas dizer que o Grêmio tomou laço do Ajax em 95 é uma mentira discarada! O Grêmio atacou o Ajax muito mais que o Inter atacou o Barcelona, mas futebol é assim... ganha quem marca o gol (sem falar que fomos prejudicados com a expulsão do Rivarola, por muito menos do que o Edinho bateu no Deco e no Ronaldinho). O Barcelona tem um título mais que o Hamburgo (uma UEFA só, porque o Hamburgo foi vice em 80). Ah... e mais... o Ajax estava sem perder sequer UMA partida durante 2 anos consecutivos. O Barcelona tomou 3x0 na final da Copa da Espanha poucos meses antes da final do mundial, mostrando que iria abrir as pernas tb no Mundial.
Foram campeões, bom pra vcs (mas ainda não nos igualaram). Sigam tentando.
Calma lá filhão... tem muito o que nadar ainda...

Cesar disse...

O VERDADEIRO diálogo entre Pai e Filho:

DIÁLOGO DE PAI GREMISTA COM SEU FILHO

Domingo, dia 17 de dezembro, o filho gremista pergunta para o pai, também gremista:

- Pai, porque os colorados estão comemorando?
- Porque eles foram campeões do mundo, diz um conformado pai.
- Mas pai, nós também somos campeões do mundo, né?
- Sim!, exclama imediatamente um animado pai. Ao fundo, foguetório.
- Pai, tem vídeo teu no youtube na comemoração e fotos da festa do Mundial?
- Não, guri. Naquela época não existia youtube e câmera digital. Aliás, nem internet tinha.
- Não???? Bah, que estranho… E o Inter ganhou do Barcelona, aquele time que vemos todos os domingos na tv, né? E nós, de quem ganhamos?
- Do Hamburgo, 2×1 na prorrogação.
- Hamburger? Que time é este?
- HamburGO. Na época era o campeão europeu.
- E depois?
- Nunca mais ganhou nada, hoje é time médio na Alemanha. Eles foram com time misto, tavam mal no Alemão.
- Mas eram bons? Tinham craques que nem o Ronaldinho, o Deco, o Eto’o?
- Claro, tinha o… Rollf e o Magath!

Confuso, mas confiando no pai, o guri diz:
- Hm, tá bom… Ah, este Hamburger era que nem o Once Caldas da Colômbia, né?
- Como você pergunta coisas! Já falei que é HAMBURGO, com GÊ-Ó no final! O que mais tu quer saber, hein?
- Contra quem jogamos nas semifinais? Um time da Ásia?
- Não, guri. Na época não tinha isto, era um jogo só da Europa contra a América do Sul.
- Hm, entendi.. Então na época, só haviam descoberto dois continentes?
- Mas saco (nesta hora o pai já está bem irritado com o interrogatório)! Não, é que não tinha representantes dos outros continentes. Era só 1 jogo, e só entre eles.

Tentando amenizar, mas muito curioso ainda, o menino pergunta:
- Pai, tem imagem de TV da entrega da nossa taça do Mundial?
- Tenho! Peraí, tenho que pegar o videocassete betamax que tá no sótão e instalar na TV velha da sala. O pai vai rápido, todo feliz e instala em 10 minutos. A imagem tá ruim, mas dá para ver a entrega direito.

Neste momento, passa uma horda de colorados na frente do prédio gritando: “colorado, colorado: nada vai nos separar…”
- Pai, quem é este japonês que tá entregando a taça pro nosso time? Era o presidente da FIFA na época? Quem era antes do Blatter?
- Hm, não lembro. Deixa eu ver o que tá escrito na tela. Ah, tá ali. “Toyota Maintenance Manager”, então é o Gerente de Manutenção da Toyota.
- Entendi tudo então pai! Então quer dizer que também somos campeões do mundo, mas na época não tinha internet nem câmera digital, e gravado em um sistema que não existe mais. Que ganhamos de um time que era zebra na Europa, que não tinha semifinal e o mundo do futebol só tinha dois continentes. E que o prêmio pela conquista foi entregue por um funcionário subalterno da patrocinadora do jogo…

O pai suspira, escutando pela milésima vez ao fundo “.. o teu presente diz tudo, trazendo a torcida alegres emoções…” e diz: “é, vai ser difícil convencer o outro…”

Fabiano Siquera disse...

HA AH HA A ACHO MUIT ENGRAÇADO O RECALQUE DOS COLORADOS...

TRICOLOR SEMPRE

Simbad disse...

@Cesar
Colorados, como sempre, são muito criativos em 'copiar descaradamente' os tricolores.
O Imortal jamais passou pelo fiasco de ter sido "REBAIXADO-FIFA". Nunca teve que remover a sigla FIFA do estádio por ordem de um advogado e conselheiro do clube rival (Dr. Alberto Guerra). Meu parabéns pelo cente-nada vermelho será a volta olímpica no TRI da LA...

Anônimo disse...

Fechando os boatos de time misto do Hamburgo na final de 83 contra o Grêmio.

1) Escalação do Hamburgo contra a Juventus:
1 Stein
2 Kaltz
3 Wehmeyer
4 Jacobs
5 Hieronymus
6 Rolff
7 Milewski
8 Groh
9 Hrubesch
10 Magath
11 Bastrup

2) Escalação do time do Hamburgo contra o Grêmio:
Stein (Titular)
Schroder
Hieronymus (Titular)
Wehmeyer (Titular)
Jacobs (Titular)
Hartwig
Groh (Titular)
Magath (Titular)
Wuttke
Hansen
Rolff (Titular)

Não vejo time misto nenhum. O Barça também tinha desfalques importantes como Messi e Eto.

Patrick disse...

Só pra esclarecer ainda mais sobre o tal misto do Hamburgo(pura invenção de colorado sofredor recalcado):
* Hrubesch e Bastrup não faziam mais parte do grupo, foram vendidos(times bem inferiores), pois não estavam mais no auge de suas carreiras;
* Hrubesch estava jogando Standard
da Bélgica e Lars Bastrup que também não fazia mais parte do time se transferiu para o IK Skovbakken da Dinamarca.

@ Novos titulares da época:
@ Hartwig(Primeiro jogador de escendência negra a jogar na seleção da Alemanha) era titular na época e jogava muito.
@ Allan Hansen ja tinha sido eleito duas vezes o melhor jogador da Dinamarca e era titular tbém.

Ou seja o unicos desfalques eram Kaltz e Milewski, que foram substituidos por:
Wuttke era um jovem promissor que veio a fazer parte da seleção Alemã no futuro e Schröder foi o cara que fez o gol contra o Grêmio.


E para lembrar os colorados, Van Bommel e Eto`o que eram titulares do Barcelona na E´poca da Champions não jogaram contra o Internacional, Bommel tinha sido vendido e Eto`o estava contundido.

Nos dois casos a champions terminou em Maio e a final do mundial foi em Dezembro, então muita coisa muda nos times.Ok
E por fim perdemos o oportunidade de sermos BI mundias para o Ajax ja vocês vão ser lembrados eternamente por terem perdido para o grande Mazembe...HUAUHHUAHAUAH
Parabéns ridículos colorados !!
E não mais nada o que falar só rir de vcs kkkkkkkkkkkkkkkk

Alex disse...

Bem,títulos a parte, o nosso GRÊMIO foi campeão com dois gols do RENATO,ídolo,craque e titular incontestável e jogando com cãimbras.Já o inter,foi se tornar campeão com uma atuação fraca do fernandão q nem viu a bola. O gol só saiu depois que o CONTESTADÍSSIMO GABIRÚ ,que TODOS os colorados NÃo queriam na relação dos que viajaram ao Japão, entrou em campo. Que vergonha,um DESCONHECIDO,um tal de GABIRÚ deu o título e depois foi dispensado,que vergonha,cuspiram no prato q comeram.E o Mazembe? Se tivessem levado GABIRÚ... Bem,tomaram no ... Esqueceram do HERÓI,agora só resta chorar e lembrar para sempre do "HERÓI KID-ABA"!!!!!