13 dezembro 2006

Ditador bom é ditador morto

É sabido que todo canalha vira santo depois que morre, pelo menos na abordagem da imprensa. O Roberto Marinho, por exemplo, virou um defensor da democracia. Mas com o Pinochet, não dava. Ele era unanimemente canalha. Era impossível tentar desculpar ou elogiar aquele pulha! Se bem que... Bem, ele modernizou o Chile, não? Abriu sua economia! Por causa dele, o Chile é hoje um país próspero! E isso ninguém pode questionar (Isso mesmo! Nem pense em questionar!)! Pensando bem, ele apenas cometeu alguns excessos, com os quais niguém concorda...

Pois esse foi o discurso que mais se ouviu nos últimos dias, com direito até a editorial do Jornal do Comércio. Pinochet virou quase um benfeitor da humanidade!


E, pra quem não sabe, foi assim que o Pinochet inventou o choque de gestão!

Um comentário:

Claudia Cardoso disse...

Foi horrível agüentar a matéria do Jornal da Noite da Globo na cobertura do funeral do ditador. Chile do "socialismo pós-queda muro de Berlim", que "negocia com os empresários", como se no Brasil a coisa fosse diferente! Um nojo só, uma mistificação!