08 outubro 2006

Reengenharia Celestial

Esse ano de 2005 tem sido implacável com aquelas coisas abstratas, nebulosas, nas quais a maioria das pessoas achava difícil acreditar. Ensinaram-nos que elas existiam e nós sempre com um pé atrás, mas fazendo de conta que acreditávamos. Mas esse ano, não! Elas acabaram! Uma a uma. Primeiro foi Plutão. Depois foi o governo Rigotto. Esse, dizem, teria sido uma maravilha, se não fosse São Pedro... Teve ainda a cláusula de barreira, que atropelou o PV, o PPS e outras siglas imaginárias da nossa sopa de letrinhas partidária. E agora foi a vez do Purgatório ir para a banha! Dizem que o São Pedro também está por trás disso. Ou o Zé Dirceu!

2 comentários:

Claudia Cardoso disse...

Kayser, muito bom mesmo! Eu e o Eugênio não parávamos de rir...

Eugênio Neves disse...

Fiquei sabendo da extinção do limbo pelo teu blog, o que prova que teu espaço é plural: informação, cultura e espiritualidade (ingrediante tão necessário nesses tempos nebulosos para aplacar a desesperança dos incréus). Sou pouco versado nessas relações entre os mortais e os entes divinos, mas já que o tal rottweiler, quer dizer, Ratzinger tem tanto poder ao ponto de eliminar por drcreto uma criação divina, ele poderia fazer o serviço completo de uma vez e decretar o fim do inferno, uma vez que a situação terrena é tão penosa, que a passagem por esta instância seria desnecessária. Não seria nada ético atrapalhar, dessa maneira, a vontade divina, mas se o Todo Poderoso permite que o ACM seja eleito, depois de ser pego com a boca nos chips do painel do Congresso, vale tudo! Talvez ele quisesse, como no mito de Abraão, testar o povo baiano, mas a Bahia mostrou a sua rebeldia e por designíos que nem deus conhece, votou num governador do PT e presenteou Acemezinho com novo mandato federal. É o RS fazendo escola em termos de coerência política.