19 dezembro 2009

Mensagem natalina comunista

Apenas para complementar e ilustrar ainda mais claramente aquela bizarra ideia de que o Grêmio é o time da direita gaúcha e que o tradicional adversário, em contrapartida, seria um time de esquerda. Além, é claro, de compartilhar com meus caros leitores uma linda mensagem de natal, totalmente espontânea, original e sem qualquer traço de oportunismo e de pieguice, enviada pelo deputado a um amigo meu que é sócio do coirmão da beira do lago. Sem que o destinatário tenha solicitado.


p.s.: Notaram que a logomarca do deputado é rubro-negra? Dá-lhe hexacampeão!

18 comentários:

Marco T. disse...

"Colorado das glorias" rumo a Tokyo de novo! Mas falando em inveja acabei de ver a seguinte manchete em um conhecido portal:
"Dilma não foi escolha adequada para COP-15, diz Marina Silva"
Como dizem "A inveja é uma merda"!
Gostaria de saber de onde veio está idéia de ideologizar Grêmio e Inter, pois não tem nada a ver e não é boa idéia, vamos ficar apenas com o esporte futebol, especificamente o grande Campeão Inter e o outro, mais nada!
Brincadeiras a parte desejo "um grande Natal e um grande 2010" pra tí e tua família!
E obrigado por disponibilizar teu ótimo e inteligente humor gratuitamente!
Tudo de bom!

Kayser disse...

Valeu, Marcos!
Feliz Natal e um ótimo 2010 para você também!

Anônimo disse...

Em compensação, a Yeda (cruzes) e o Fogaça são gremistas. Ah, o Médici também era gremista.
Deixando de lado as bobagens, já que há direitosos e esquerdistas em ambas as torcidas, analisemos o comportamento geral das mesmas.
A torcida do Grêmio tem um ranço elitista que vem de velha tradição do Grêmio, não se pode negar, ao se referir à torcida do Inter como se fosse formada apenas de pobres ou bandidos. Tem também um ranço racista, com o uso da expressão
"macaco" e com os cantos racistas. Isso também não dá para negar. E isso não tem na torcida do Inter.

Kayser disse...

Não, anônimo, realmente... Na torcida do Inter não há racistas nem elitistas e os cantos da sua torcida, assim como o cartão eltrônico do deputado, são também todos natalinos... Cada um que me aparece!

Anônimo disse...

Caro Kaiser.

Tem muito colorado filho da puta assim como gremistas, tu sabes...
Eu prefiro, apesar de gremista, os colorados de esquerda aos gremistas de direita.

Sou muito mais o Olívio do que o Odone! (só para dar um exemplo).

Venho quase todo dia aqui.

Seja feliz neste natal!

Helio

Kayser disse...

Exatamente, Helio! Mataste a charada.
Abração e feliz natal!

Anônimo disse...

Prezado Kayser, é claro que existem racistas e elitistas em ambas as torcidas, nunca disse o contrário.
Mas o que eu disse a respeito do comportamento mais geral da torcida do Grêmio é verdade. O Grêmio teve uma origem elitista e o Inter teve uma origem mais popular, e isso ainda se reflete no comportamente das torcidas. A torcida do Grêmio, em boa parte, ainda tem um ranço elitista e racista. O primeiro negro jogou no Inter nos anos 20, mas no Grêmio somente nos anos 50...
Eu já vi amigos gremistas repassarem charges de um ônibus do Inter, todo quebrado, e cheio de macacos esfarrapados dentro. Puro preconcento racial e social.
E os meus vizinhos gremistas em Sta Maria, quando o Grêmio ganha ou o Inter perde, vão para a janela gritar "macaco" direto. Essas coisas a torcida do Inter, em geral, não faz, se limitando a tocar flauta (o que é legítimo) em cima das derrotas do Grêmio ou vitórias do Inter. Mas nunca em diminuir a torcida adversária pelo uso de chavões racistas ou elitistas.

Leandro Bierhals disse...

Só sendo muito ingênuo para afirmar que um time é de direita e outro de esquerda. Eu como colorado, não posso deixar de citar também nosso querido Zachia, nosso político ornitológico.

Kayser disse...

Meu caro, isso é verdade em parte. É verdade no que diz respeito à prática condenável de se chamar a torcida colorada de macacada e coisas do tipo. Como também são condenáveis as expressões marcadas por homofobia e xenofobia, usadas por ambas as torcidas. O futebol, de um modo geral, é marcado por preconceitos e intolerâncias, o que é uma pena. Mas o ponto central desta e de outras postagens é o de demonstrar que o Grêmio não é pior do que qualquer outro clube. Não é mais de direita (ou de esquerda) do que qualquer outro. E não é mais racista também. Talvez seja até menos racista do que o Inter, embora no imaginário popular pareça o contrário. Senão, vejamos: a estrela de ouro da bandeira do Grêmio é uma homenagem ao negro Everaldo. O hino foi composto pelo negro Lupicínio Rodrigues. E tivemos atletas negros desde a década de 1910: Antunes era negro e atuou no Grêmio em 1913, embora no imaginário popular Tesourinha tenha sido o primeiro negro (existiram vários outros antes). E no Conselho Deliberativo do Grêmio há negros. No do Inter, pelo que sei, não. Mais detalhes em http://sempreimortal.wordpress.com/2009/02/25/de-colaborador-o-porque-do-macaco/
Abraço!

Jens disse...

Briga de branco? Eu, fora. Depois que o Santana e o Cacalo colocaram os negros no seu devido lugar - assegurando o direito do Max Lopez (e todos os demais jogadores e torcedores) de chamar os negros de macacos - guardei minha boca pra comer farinha (ou banana, mais apropriado no caso).
No mais, Feliz Natal.
Pra cima com a viga!

Fernando disse...

Pedro Seelig era conselheiro do Internacional. E o Grêmio é de direita?

Guga Türck disse...

De onde tiraram que o inter tem origem mais popular que o Grêmio???
Até os colorados não conhecem sua própria história, impressionante.
Tenho trabalhado no Cristal em comunidades em situação de vulnerabilidade social total e percebi uma incrível e preocupante realidade: as pessoas dali acham que o inter foi fundado por negros! E mais, há um racismo idiota contra negros gremistas acontecendo. Os negros colorados ridicularizam os negros gremistas, forçam a barra, a ponto de os negros gremistas sentirem vergonha de usar a camiseta tricolor, a ponto de questionarem a sua identidade de negro. É simplesmente horrível!
Se o inter abriu para jogadores negros antes do Grêmio - e não foi na década de 1920 - não foi por altruísmo. Até porque era proibido que negros se associassem no clube. Abriram para os negros - em vestiários separados? - porque jogavam muito mais do que os brancos.
Outra coisa, a história de Lupicínio Rodrigues, que ele mesmo contou, do porquê ter se tornado gremista (olha aí, de novo, "um negro gremista?!" - de onde vem isso?): seu pai havia montado um time para jogar o metropolitano em Porto Alegre, por ser formado por negros, precisava da autorização das outras equipes para entrar no campeonato - adivinha qual clube não topou argumentando exatamente a questão racial? É... Na minha opinião, essas terminologias "do povo" e etc são muito mais empulhação, marketing agressivo, do que qualquer coisa.
E isso precisa acabar!!!

Abração, Kayser! Tudo de bom e feliz 2010!

Miguel Grazziotin disse...

Onyx Lorenzoni, o facista-mor do RS.
Quanto a querelas futebolísticas...para mim apenas uma diversão....
Feliz Natal e Ótimo Ano pra vc e todos os "comunistas" que lêem este blog!!!!

Anônimo disse...

acho que todos temos responsabilidade em não fomentar estas estupidezas que o futebol e, principalmente, a mídia, esta sim elitista, racista, homofobica,... faz com os gaúchos!! usando descaradamente o futebol para vender, vender, vender!!

sou colorada e já cansei de usar estes argumentos. casei com um cara que vem de uma família de 11 irmãos, pobre com consciência e gremistas. tive que romper preconceitos e conviver na boa!

e que 2010 seja ótimo para tricolores, colorados e para os que não tem esta paixão!

Rodrigo Cardia disse...

Camarada Onyx! :p

Anônimo disse...

É óbvio que na torcida do Inter há fascistas e direitistas, assim como na do Grêmio há esquerdistas. São as exceções que confirmam a regra.... hehehehehe
Ah, as diretorias do Grêmio e Corinthians ainda esperam os cheques do Flamento pelos serviços prestados, afinal há que se montar os times para o ano de 2010.

Kayser disse...

Que cheque, Anônimo? Quem recebe cheque é o Paysandu (lembra?). A gente sacaneia vocês por prazer mesmo!

Anônimo disse...

Esse é o ex-clube do povo do RS. Não fosse literalmente comprar arbitragens, como faz o "Curinthians", e eles tanto denunciam, o coirmão estaria 40 anos sem títulos e no anonimato. A Copa do Brasil 92, foi assim. |Até o Pinga admite q meteram a mão no Flu. E mais: na única partida da história da Libertadores q teve dois gols anulados (Inter X Nacional-Uru) o presidente do clube platino saiu de campo e denunciou: "Eso es el poderío económico de Inter". Moral da história: uns levatam taça no sangue, outros no cheque.

Dá-le Grêmio,
abraços, Kaiser

Luís Carlos
Uruguaiana