01 dezembro 2007

Liberdade de imprensa

12 comentários:

Hals disse...

Concordo plenamente com a tua charge. Parabéns. Relamente é triste ver que a mídia gorda, de democratica, só tem o demo. Vade retro.

Hudson Lacerda disse...

Kayser,
Espero que essa demissão muito em breve converta-se numa oportunidade para encontrar melhores condições profissionais e de vida.
Sucesso sempre!
Com um abraço do sivuqueiro Hudson Lacerda.

Miguel Grazziotin disse...

A elite, em qualquer pais capitalista ou pseudo capitalista, faz uso dos cargos de trabalho da maneira que pensam,,,sao favores que fazem aos trabalhadores e servem como massa de manobra para conseguirem seus objetivos...

Leandro Malósi Dóro disse...

parabéns, Kayser. Essa é uma boa charge para ser incluída em provas de vestibular e cadernos escolares.

Rafael disse...

Beleza de charge, Kayser. A única coisa que eu lia no Jornal do Comércio era a charge de vocês. Agora não tem nem porque abrir esse jornal.

Claudio F disse...

Fiquei chateado com a saída de vocês, sendo que a única expressão realmente democrática eram as charges, No entanto, também acho que o JC deu um tiro no Pé, no esquerdo, porém no próprio.

Rodrigo Cardia disse...

Muito boa charge! Usei para ilustrar um post lá no Cão sobre o lamentável episódio.

Abraços

Gabriel disse...

Kayser, que notícia lamentável... Bah!
Olha... eu sou assinante do JC.
Era o único jornal (daqui) que eu ainda conseguia ler...
e agora o que faço? Eu não me esqueço fácil dessas coisas...

Hoje não tinha entendido o que havia acontecido... virei a página e não tinha nada lá! Achei [ingenuamente] que tinha sido um problema com a aquela edição... :(

Olha... e eu achando que como eu todo mundo adorava ler as Charges de vocês!

Rolava pressão, então é? Eu devia ter imaginado... acho que me deixei iludir com aquele tom mais sério das notícias.
Mas quem não se iludiria?! Tendo um Kayser logo no começo escrevendo... "dos crata eu não sei, mas do DEMO, com certeza"
hehehehehe, até agora eu ainda riu quando vejo essa charge! ;)

Nos mantenha informado sobre outras publicações, ok?!
Abraços!
Gabriel C. Stabel

Têmis Nicolaidis disse...

Kayser!
Cloquei lá no alma da geral!
Força aí! seguimos...

Jens disse...

PQP!!!
Porra cara, só fiquei sabendo hoje. Receba a minha solidariedade diante de mais esta sacanagem praticada pela mídia do pensamento único. Conta com o meu apoio. Qualquer coisa, dá um berro.
Um abraço.

Doutroladodomar disse...

Muitas vêzes pensamos que perdemos , e mais tarde constatamos que foi um puta ganho!
Fico na torcida para que seja esse o caso.
Bj

Paulo Renato disse...

A censura continua. Passamos por uma ditadura militar, quando a constituição foi rasgada e o arbítrio instalado. Pessoas foram presas, torturadas e mortas. Professores, intelectuais, políticos, foram demitidos, cassados, banidos, exilados. Filmes, livros, peças de teatro, músicas, espetáculos, foram proibidos. Lutamos e morremos para fazer desse país uma democracia. Mas muitos ainda pensam e agem como se os generais dessem as ordens. São os capitães-do-mato, feitores de escravos, 'coronéis' da mídia e tantos outros que perseguem e aniquilam aqueles que ousam pensar diferente.

O Jornal do Comércio de Porto Alegre, ao demitir seus premiados chargistas, reconhecidos como entre os melhores do país, escreve mais uma página negra na História do Brasil.

Talvez alguns agora entendam porque muitos reclamam da ditadura imposta pelos barões da imprensa e pedem alguma forma de controle público sobre os meios de comunicação social. Não é possível que meia dúzia de pessoas, apenas porque são os donos das empresas jornalísticas, decidam o que a população brasileira pode saber. Isso sim que é uma brutal concentração de poder e uma forma perversa de CENSURA.